Home » Publicações » 2013 » GVT – NEGOCIAÇÃO DO ACORDO COLETIVO: SÓ AVANÇOS FRUSTRANTES E A PASSOS DE TARTARUGA!

GVT – NEGOCIAÇÃO DO ACORDO COLETIVO: SÓ AVANÇOS FRUSTRANTES E A PASSOS DE TARTARUGA!

Empresa joga com a barriga

na mesa de negociação!

SEM MELHORAR PROPOSTA ECONÔMICA, GVT MARCA PRÓXIMA REUNIÃO LÁ PRA OUTUBRO!

A próxima rodada de negociação do Acordo Coletivo de Trabalho – ACT de 2013 ficou – agora – para dia 07 de outubro. É assim que os representantes da GVT tratam o assunto, levando um assunto tão importante na base da barrigada, sem proposta concreta de avanços nos itens econômicos.

Após três rodadas de negociação entre GVT e Comissão Nacional de Negociação da Fenattel – da qual faz parte o Sinttel-SC, a Empresa insiste em não oferecer nada reajustes aos salários acima do INPC.

Para a Comissão e os trabalhadores o ganho real é uma questão central, já que a GVT – entre todas as operadoras de telecomunicações – é a que paga menos aos seus empregados.

O absurdo é tão grande que a GVT chega a pagar pisos menores do que o pessoal das prestadoras de serviço terceirizadas! Isso não pode continuar assim! Isso precisa mudar!

Mais uma vez, a Empresa trouxe uma proposta tão ruim – mesmo com alguns avanços – que foi prontamente recusada de pronto pela Comissão da Fenattel.

Além de oferecer reajustes somente em alguns benefícios, a GVT caprichou na maldade, chegando a ameaçar a retirada da cesta básica. Com certeza, é a velha tática de piorar a proposta para depois manter e se fazer de boazinha… O trabalhador não é bobo!

“PIV” TEM QUE SER TRANSPARENTE!

O programa conhecido como PIV tem que ser mais transparente e a Empresa precisa detalhar as regras. Há inúmeras reclamações dos empregados sobre os critérios desse plano variável.

A GVT só conseguiu avançar foi na garantia de emprego de um ano na pré aposentadoria e o fornecimento do VA/VR para afastamento por acidente do trabalho. Nada além disso!
O que a Comissão e os trabalhadores querem é o reajuste salarial acima do INPC, melhorias efetivas na Licença

aternidade de 180 dias, além de vários outros pontos apresentados na Pauta de Reivindicações apresentada pelos Sindicatos de todo País.

É preciso que o enorme crescimento da GVT seja justo com àqueles responsáveis pelo seu êxito, ou seja, seus empregados. A Empresa não pode ter lucros exorbitantes às do bolso do trabalhador.

PPR 2013, PELO MENOS, TEVE AVANÇOS

O Modelo de gestão da empresa, de manter um enorme contingente de empregados comissionados não poderia mais servir de desculpa para a pior PPR do mercado.

Depois de muita negociação, construiu-se uma proposta positiva em relação às anteriores e será apresentada nas assembleias para a avaliação e deliberação da Categoria.

PARA IMPRIMIR EM PDF

Esta notícia foi importada automaticamente de nosso antigo website. Caso você identifique algum problema com o conteúdo da mesma, use a área de comentários para nos informar e corrigiremos o problema rapidamente.

Convênios para associados: