Home » Publicações » 2013 » OI – NOVA GESTÃO, VELHOS E NOVOS PROBLEMAS!

OI – NOVA GESTÃO, VELHOS E NOVOS PROBLEMAS!

A direção do Sinttel-SC vem recebendo inúmeras reclamações, denúncias e pedidos para que a Oi resolva os sérios problemas que afligem os trabalhadores e que vem sendo tratados de forma pouco adequada pelos gestores da Empresa

Enumeramos aqui estes problemas levantados pelos colegas para que a Oi use de bom senso e respeito pelos empregados.

Folgas programadas: é um absurdo que a Empresa queira acabar com as folgas programadas. Esta é uma pratica que já vinha se desenvolvendo. Agora, querem mudar isso, sugando o que podem do trabalhador até o final do ano.

Adicional de periculosidade: os técnicos de infra estrutura da Oi, que recebem o adicional de periculosidade, não estão recebendo o adicional sobre o pagamento no valor das horas extras. Questionado, o RH da OI informa – simplesmente – que a Empresa não paga o valor da periculosidade nas horas extras. Um desrespeito completo!

Anel ótico: os técnicos que trabalham com anel ótico (postes da rede elétrica onde ficam os equipamentos) que recebiam periculosidade na Alcatel, não estão recebendo na OI. Até o momento a Empresa não apresentou o laudo sobre a periculosidade, mesmo depois de três meses de prazo. O perito até já fez o laudo, mas, nada de providências de parte da OI.

Representantes comerciais: estes colegas estão tendo prejuízo no que se refere à utilização do carro. Eles utilizam seus próprios veículos e a taxa de manutenção e combustível está defasada da realidade. O que se quer é a retomada do km rodado, aproximadamente 0,60 centavos de real por km, valor que era praticado.

Transparência no ponto: os trabalhadores querem mais transparência no ponto! O intervalo entre jornadas nem sempre esta sendo respeitado. Além disso, a Empresa está dificultando a justificativa no ponto.

Abusos de hora extra e sobreaviso: há um abuso total aqui, causado pela falta de técnicos trabalhando na filial.
Falta de higiene e segurança: há uma enorme carência destes aspectos nas estações, onde a periodicidade da limpeza é – pasmem! – de seis em seis meses. Assim não dá!

Justificativa de saída: a Empresa – sem avisar ou negociar – passou a cobrar justificativa de saídas com intervalos menores de uma hora. A prática de descontos era sobre o intervalo acima de uma hora. Os trabalhadores querem maior discussão sobre este assunto.

Dias ponte: em nome do “foco, disciplina e determinação”, para aumentar a produtividade, a Empresa está extinguindo os “‘dias pontes”, prática tradicional na Oi, na escala de feriados em datas especiais. Com a mudança, não se pode mais compensar com o banco de horas. Reivindica-se a revisão desta decisão.

Modelo de operação: para “consolidação do nosso modelo de operação e garantir um crescimento sustentável e rentável no futuro” a Oi decidiu cobrar oito horas nos dias 24 e 31 de dezembro/2013, isto é, pagar 16 horas para quem tiver banco de horas. Os empregados querem rever esta determinação.

Horas em viagem: os gestores, ultimamente, vêm criando problemas e até se negando a aprovar horas que o trabalhador ficou a disposição da Oi quando dos deslocamentos em viagem. Os trabalhadores pedem o devido pagamento.

Constrangimento cruel: em nome de um “aumento de produtividade”, alguns gestores chegam ao cúmulo de destratar, protagonizar insinuações sem cabimento e constranger os trabalhadores. Chega disso tudo!

A direção do Sinttel-SC já encaminhou todos estes problemas aos gestores da Oi, esperando que a Empresa se sensibilize e resolva rapidamente todas essas demandas enumeradas pelos trabalhadores.

Estamos de olho nas providências!

PARA IMPRIMIR EM PDF

Esta notícia foi importada automaticamente de nosso antigo website. Caso você identifique algum problema com o conteúdo da mesma, use a área de comentários para nos informar e corrigiremos o problema rapidamente.

Convênios para associados: